Páginas

terça-feira, 3 de outubro de 2017

VOCÊ NADA TEM A VER COM O ORGASMO FEMININO

Você se julga responsável pelo orgasmo feminino, então comete um erro primário. Você não faz uma mulher gozar, ela goza sozinha. O prazer dela não tem nada a ver com o que fez ou deixou de fazer. Não é uma tela onde, ao final, assina o nome. Não é um poema onde registra a autoria. Não adianta contar aos amigos a façanha, a proeza não é sua.
Pode assistir de camarote. Pode ter a honra de vê-la se amando. Mas o show é dela, o palco é dela, todo homem será sempre um espectador.
Não é algo que se leva para o currículo amoroso ou destinado a fortalecer a vaidade.
O orgasmo feminino acontecerá com ou apesar de você.
Ela mesmo se completa. O que pode ocorrer felizmente são dois inteiros se encaixando e transbordando. Duas autonomias convergindo e encontrando a liberdade do movimento.
O jardim é dela, e ela é a única jardineira. Ela é que se planta e floresce. Ela é que se conhece e se poda.
Respeite o direito dela de ter ou não ter prazer, de fingir ou de ser autêntica, de estar com vontade ou perder a vontade.
Dê tempo em vez de censurar. Dê os braços e as pernas para que ela possa cumprir as suas coreografias. Use o corpo inteiro e não somente um membro. Mais que isso é desnecessário.
Não existe fiador ou dependente. Não existe menor ou maior. Não existe passivo e ativo. Não existe caridade e provedor no sexo. Não caia na conversa machista de que você manda, e ela obedece. Ambos mandam e obedecem na mesma hora.
Não é apenas estar junto, é saber estar junto. É mais do que contar histórias, é ser a própria história. O contexto, a gentileza, o apego, a garra, a força e a fissura se misturam e se interpenetram no caldeirão de sentimentos.
Não esqueça de que a mulher tem um ouvido imaginativo, um ouvido musical. É pela audição que ela sonha e se observa. Não passe pelas sucessivas transas repetindo o repertório de bichos e ofensas. É um tédio atravessar anos de relacionamento escutando quatro palavras recorrentes sem parar no quarto. Amplie o vocabulário. A fala é o motor da língua.
Nem ouse ser preconceituoso e supor que ela é delicada e frágil, a mulher é selvagem e tem outras várias por dentro. No sexo, todos somos bipolares.
Você só tem uma única missão na cama: não atrapalhar o orgasmo dela. E não é uma tarefa fácil.
Fabrício Carpinejar

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

QUANDO EU ESTIVER LOUCO, SE AFASTE

Há que se respeitar quem sofre de depressão, distimia, bipolaridade e demais transtornos psíquicos que afetam parte da população. Muitos desses pacientes recorrem à ajuda terapêutica e se medicam a fim de minimizar os efeitos desastrosos que respingam em suas relações profissionais e pessoais. Conseguem tornar, assim, mais tranquila a convivência.
Mas tem um grupo que está longe de ser doente: são os que simplesmente se autointitulam “difíceis” com o propósito de facilitar para o lado deles. São os temperamentais que não estão seriamente comprometidos por uma disfunção psíquica – ao menos, não que se saiba, já que não possuem diagnóstico. São morrinhas, apenas. Seja por alguma insegurança trazida da infância, ou por narcisismo crônico, ou ainda por terem herdado um gênio desgraçado, se decretam “difíceis” e quem estiver por perto que se adapte. Que vida mole, não?
Tem uma música bonita do Skank que começa dizendo: “Quando eu estiver triste, simplesmente me abrace/ quando eu estiver louco, subitamente se afaste/ quando eu estiver fogo/ suavemente se encaixe…”. A letra é poética, sem dúvida, mas é o melô do folgado. Você é obrigada a reagir conforme o humor da criatura.
Antigamente, quando uma amiga, um namorado ou um parente declarava-se uma pessoa difícil, eu relevava. Ora, estava previamente explicada a razão de o infeliz entornar o caldo, promover discussões, criar briga do nada, encasquetar com besteira. Era alguém difícil, coitado. E teve a gentileza de avisar antes. Como não perdoar?
Já fui muito boazinha, lembro bem.
Hoje em dia, se alguém chegar perto de mim avisando “sou uma pessoa difícil”, desejo sorte e desapareço em três segundos. Já gastei minha cota de paciência com esses difíceis que utilizam seu temperamento infantil e autocentrado como álibi para passar por cima dos sentimentos dos outros feito um trator, sem ligar a mínima se estão magoando – e claro que esses “outros” são seus afetos mais íntimos, pois com colegas e conhecidos eles são uns doces, a tal “dificuldade” que lhes caracteriza some como num passe de mágica. Onde foi parar o ogro que estava aqui?
Chega-se a uma etapa da vida em que ser misericordioso cansa. Se a pessoa é difícil, é porque está se levando a sério demais. Será que já não tem idade para controlar seu egocentrismo? Se não controla, é porque não está muito interessada em investir em suas relações. Já que ficam loucos a torto e direito, só nos resta se afastar, mesmo. E investir em pessoas alegres, educadas, divertidas e que não desperdiçam nosso tempo com draminhas repetitivos, dos quais já se conhece o final: sempre sobra para nós, os fáceis.
Martha Medeiros

sexta-feira, 9 de junho de 2017

TREINAR AS EMOÇÕES PARA SER FELIZ...

Aprendemos a matemática numérica, mas não aprendemos a matemática da emoção. Aprendemos a língua, mas não aprendemos a linguagem da emoção. Por isso, aprendemos a explorar o mundo de fora, mas não aprendemos a explorar o mundo de dentro.

Centenas de milhões de alunos frequentam a escola clássica, mas não se preparam para a escola de vida. As ofensas derrotam-nos, as frustrações abatem-nos, as perdas traumatizam-nos. Quem não se prepara para ser ofendido e frustrado e para sofrer algumas perdas, não aprendeu as lições básicas da escola da vida. Quem não aprendeu a proteger a sua emoção dos focos de tensão faz dela um balde de lixo.

A educação clássica está a séculos de distância da educação da emoção. Não por culpa dos professores. Esses são heróis anônimos, pois as salas de aula deixaram de ser um jardim e transformaram-se num árido solo. A culpa está no sistema de educação que se arrasta por séculos, que raramente conhece e discute temas fundamentais, como gerir os pensamentos e navegar nas águas da emoção.
Infelizmente a nossa espécie está a adoecer coletivamente. Está a adoecer nem sempre por causa de doenças clássicas, como a depressão, a síndrome do pânico, as fobias, mas pela solidão, pela falta de solidariedade, pela crise de diálogo, pela incapacidade de contemplação do belo, pela vida estressante, pelo individualismo.

O homem moderno nunca foi tão capaz para atuar no mundo exterior e nunca foi tão frágil para atuar no mundo das suas emoções e dos seus pensamentos. A ciência produziu gigantes no mundo físico e meninos no território da emoção. Eles são eloquentes para falar do mundo que os rodeia, mas ficam mudos diante dos seus sentimentos. São competentes para realizar tarefas objetivas, mas não sabem lidar com as suas perdas e frustrações.

Se é preciso que tudo esteja bem ao nosso redor para termos um pouco de alegria, então somos escravos das circunstâncias. Uma pessoa tem mais autoestima quando aprende a tirar o máximo de conforto de dentro dos sapatos que calça. Ela é mais feliz quando extrai muito do pouco.
Se aprendeu a extrair muito do pouco, está preparado para ter muito. Se não aprendeu essa lição, o seu muito será sempre pouco. Será sempre vítima da maré da insatisfação.

Augusto Cury, in 'Treinar as Emoções Para Ser Feliz' 

quinta-feira, 25 de maio de 2017


É preciso ter esperança, mas ter esperança do verbo esperançar; porque tem gente que tem esperança do verbo esperar. E esperança do verbo esperar não é esperança, é espera. Esperançar é se levantar, esperançar é ir atrás, esperançar é construir, esperançar é não desistir! Esperançar é levar adiante, esperançar é juntar-se com outros para fazer de outro modo..”

Paulo Freire

terça-feira, 2 de maio de 2017

TRANSFORMAR A REALIDADE: NOVOS TEMPOS, NOVAS ATITUDES ● Mario Sergio Cor...

SE VOCÊ PUDESSE...

Conta-se que certo homem sofreu tamanha calúnia que ficou gravemente doente. O caluniador havia feito um grande estrago em sua vida.
Constrangido por outros a ir ao homem que estava à beira da morte e pedir perdão pelos seus atos, o caluniador foi até lá com um tremendo peso na consciência.
Ao chegar à presença daquele homem, rogou-lhe desculpas e perdão e ouviu a seguinte resposta: “Eu o perdoo de todas as suas palavras contra mim mas, há duas coisas que desejo que você faça. Será que poderá realizá-las?”
Amargurado, o caluniador respondeu: “Farei o possível para cumprir seus últimos desejos”.
Então o moribundo homem fez um maior esforço e solicitou: “Pegue este travesseiro que está embaixo da minha cabeça, vá até aquele monte em frente à minha casa e solte todas as plumas ao vento; espalhe bem e por toda a parte, depois, traga-me o saco vazio”
Mais que depressa o caluniador dispôs-se a cumprir o pedido. Não foi difícil soltar aquelas penas de travesseiro ao vento, pelo que, logo ele estava de volta.
Ao receber o saco de pano de volta, o moribundo fez então o segundo pedido: “Muito bem. Agora, pegue este saco vazio, volte lá onde você espalhou as plumas e apanhe uma por uma, pena por pena, encha este travesseiro de novo e me traga de volta!”
Com um terrível sentimento, o difamador replicou: “Mas isto é impossível! Eu não poderei juntar todas as penas. O ventou espalhou por muitos lugares…”
E então o doente proferiu suas últimas palavras:
“Eu te perdoo de todas as suas palavras contra mim, mas você jamais poderá consertar o estrago que fez à minha vida e à minha imagem diante de todos”. 

Depressão e Suicídio | PEDRO CALABREZ | NeuroVox 023

sexta-feira, 28 de abril de 2017

NÃO SOU OBRIGADA!!!

Nem você, nem sua amig@, nem seu professor (a), nem sua mãe, sua tia, nem ninguém é obrigado a fazer nada se a lei não determinar!

Isso porque vivemos em um Estado Democrático de Direito, em uma democracia.

Graças ao Princípio da Legalidade (ou Reserva Legal), quando se trata de relações particulares, pode-se fazer tudo o que a lei não proíbe, prevalecendo sempre a autonomia da vontade.

É COMO DIZ O POEMA…
Porque Nelson Barros também concorda com essa brincadeira toda e fez um poema há algum tempo atrás. Vale a pena conferir:

“Você não é obrigado a nada. Você não precisa casar, nem ter filhos, se nunca desejou. Nem fazer compras em Miami. Não precisa ter aquela bolsa marrom, não precisa ter carro, nem amar bicicletas, não precisa meditar. Só precisa ter cachorro se quiser.

Entender de vinho: não precisa. Barco, casa no campo, Rolex, ereção toda vez, cozinha gourmet, perfil no Instagram… Não precisa. Você não é obrigado a gostar de carnaval, nem de samba, nem de forró, nem de jazz. Você não é obrigado a ser extrovertido.

Não precisa gostar de praia. Nem de sexo você é obrigado a gostar. Balada, barzinho, cinema. Missa no domingo. Reunião de família. Não, você não é um ET se não estiver afim. Acordar cedo, fazer exercício, conhecer os clássicos, assistir os filmes do Oscar, a banda de garagem que ninguém conhece.

Você também não precisa conhecer. Paris, Nova York, Londres… Gosta muito de viajar? Não? Então não vá! Tá sem namorado? Alguém vai dizer que você não é feliz por isso. E é mentira. Seu cabelo não precisa ser alisado.

Nem você vai ser muito mais feliz se for magro ou magra. Também não precisa gostar de comer. Peça curinga no guarda roupa, perfume francês, dentadura perfeita, curriculum vitae, escapulário. Sucesso.

Não, você não precisa dele. Se for pra ser obrigado, nem feliz você precisa ser.”

Agora que você já sabe, não fique com a consciência pesada se não estiver muito a fim de fazer alguma coisa, afinal você não é obrigado (a)…. É lei!

Tanto o meme quanto a própria Lei Brasileira são claros em afirmar que você é livre!

terça-feira, 11 de abril de 2017

Taylor Swift -- Begin Again (Piano/Cello Cover) The Piano Guys

Beethoven's 5 Secrets - OneRepublic - The Piano Guys

Adele - Hello / Lacrimosa (Mozart) – The Piano Guys

Let It Go (Disney's "Frozen") Vivaldi's Winter - The Piano Guys

Coldplay - Paradise (Peponi) African Style (ft. guest artist, Alex Boye)...

When Stars and Salt collide - Coldplay, A Sky Full of Stars (piano/cello...

This is Your Fight Song (Rachel Platten Scottish Cover) - The Piano Guys

It's Gonna Be OKAY - The Piano Guys

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

A CULPA É DAS ESTRELAS...

Já dizia Freud “qual a sua responsabilidade na desordem da qual você se queixa?”. Enquanto não abrirmos os olhos para o nosso interior e percebermos qual é a nossa parte nas tristezas e frustrações pelas quais estamos passando, nada irá mudar.
O outro não é o culpado pela nossa infelicidade. Só é feliz com o outro quem consegue ser feliz sozinho. É preciso parar de ser pessoa metade, que depende de tudo o que está fora para encontrar a paz. É preciso deixar de receber os presentes que não são nossos, como a cara feia do outro, a arrogância, a prepotência. O que é dele é dele, e não é você quem vai fazer isso mudar. A única pessoa que você pode e deve mudar é você mesmo.
Acordar e começar o dia reclamando do que o outro fez ou faz não te levará a lugar nenhum. Colocar a sua vida a disposição do bom humor ou não de alguém é um desperdício de amor e tempo, e não deixa de ser um suicídio parcial.
Nos matamos um pouco a cada dia quando sofremos por não receber do outro o reconhecimento e a segurança que exigimos dele. Adoecemos quando não percebemos que não é o outro que veio ao mundo para atender as nossas expectativas e realizar os nossos sonhos.
Já chega! Dê um basta no sofrimento que te acomete. Assuma a responsabilidade e as rédeas da sua vida e da sua evolução. Deixe de ser criança birrona reclamando de tudo e de todos e olhe para as suas sombras, ilumine a sua caverna e cresça! Liberte-se do que não te faz bem, faça algo por você, se ame, tire um tempo no dia para se autoavaliar. Com certeza terá ensinamentos maravilhosos, com certeza se conhecerá um pouquinho mais e irá perceber o quanto é imperfeito e humano como o outro. E assim vai começar a enxergar a sua parte nessa desordem.
A vida é cheia de oportunidades diárias para que possamos evoluir. Nossos mestres são estas pessoas que nos lapidam, que nos testam, que provam todos os dias para nós mesmos o quanto somos pequenos e o quanto temos que aprender.
Culpar o outro é o pior caminho que podemos trilhar, pois a escolha é sempre nossa. Percebemos quando estamos evoluindo quando conseguimos enxergar que naquela briga, naquele problema, naquela desordem, tivemos a nossa parte. E tudo bem! A vida é assim, perceber, se arrepender, não repetir e seguir, errar novamente e levantar. Perdoar e se perdoar!
A culpa não é pra ser do outro e nem nossa.  Culpa nos faz sofrer, adoecer, envelhecer. Ela só serve para o nosso arrependimento e em seguida deve ser eliminada, pois como seres imperfeitos que somos, sempre teremos algo a melhorar.
https://amorpelapsicanalise.wordpress.com/

segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

"Nem todos que começam conosco terminam conosco. 
Tenho aprendido isso com duras experiências. 
Qualquer um pode começar. 
Começar é fácil! 
Mas, a recompensa é para quem termina. 
Celebre as pessoas que permaneceram ao seu lado até hoje.  
São elas que merecem ocupar suas memórias."

DIY: caixa de sisal para organização

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

PARA VIVER MELHOR...


Pra viver melhor...
Não se preocupe, se ocupe.
Ocupe seu tempo, ocupe seu espaço, ocupe sua mente.
Não se desespere, espere.
Espere a poeira baixar, espere o tempo passar, espere a raiva desmanchar.
Não se indisponha, disponha.
Disponha boas palavras, disponha boas vibrações, disponha sempre.
Não se canse, descanse.
Descanse sua mente, descanse suas pernas, descanse de tudo.
Não menospreze, preze.
Preze por qualidade, preze por valores, preze por virtudes.
Não se incomode, acomode
Acomode seu corpo, acomode seu espirito, acomode sua vida.
Não desconfie, confie.
Confie no seu sexto sentido, confie em você, confie em Deus.
Não se torture, ature.
Ature com paciência, ature com resignação, ature com tolerância.
Não pressione, impressione.
Impressione pela humildade, impressione pela simplicidade, impressione pela elegância.
Não crie discórdia, crie concórdia.
Concórdia entre nações, concórdia entre pessoas, concórdia pessoal.
Não maltrate, trate bem.
Trate bem as pessoas, trate bem os animais, trate bem o planeta.
Não se sobrecarregue, recarregue.
Recarregue suas forças, recarregue sua coragem, recarregue sua esperança.
Não atrapalhe, trabalhe.
Trabalhe sua humanidade, trabalhe suas frustrações, trabalhe suas virtudes.
Não conspire, inspire.
Inspire pessoas, inspire talentos, inspire saúde.
Não se apavore, ore.
Ore a Deus, ore aos santos, ore às forças e as energias.
Somente assim viveremos dias melhores.
Então não perca tempo, aproveite seu tempo! 

Bruno Pitanga


Ocorreu um erro neste gadget